Portuguese English Spanish

Dr. Bruno Fernandes - Psicologo Clínico - Hipnoterapeuta

Reiki e depressão

 

Muito se fala sobre depressão nos meios públicos de hoje, buscando a cura e o alívio imediato dos sintomas. Muitas pesquisas falam sobre a serotonina e os canais de neurotransmissores cerebrais, porém pouco se fala sobre a alma.

 Quando um ser humano inicia seu processo de depressão, significa que todas as tentativas foram feitas e que nada lhe trouxe alegria e satisfação. Dentro do mundo competitivo que estamos vivendo, dificilmente podemos expressar nossa alegria e contentamento diariamente, já que o que a maioria das pessoas busca é ampliar seu conforto, sem se preocupar com o conforto do vizinho.

 Ora, as leis universais da abundância e prosperidade são para todos, e não somente para um. Enquanto o ser humano não despertar para isso, estará sempre sofrendo e gerando sofrimento em contrapartida. E toda vez que gerar um sofrimento para o outro, estará automaticamente gerando um sofrimento para si mesmo. Enjaulando o seu espírito em um processo de auto-comiseração ou auto-piedade.

Quando o espírito se sente preso, enjaulado, inicia um processo de auto-depreciação interior e um grande ressentimento, que só tende a piorar seu processo espiritual, fazendo com que os canais energéticos de vida se retraiam e se afastem de seu campo magnético.

A partir daí, inicia-se a depressão fisiológica, onde o corpo passa a vibrar menos luz e começa a se tornar letárgico. Isso pode ser visto também como um derramamento de energia áurica, onde alguns campos da aura se abrem e começam a desperdiçar energia, enfraquecendo a pessoa como um todo.

 Do ponto de vista energético há uma freqüência de luz em baixa sintonia sendo vibrada, é como se ao ligarmos o rádio, entrasse uma freqüência diferente com a que estamos acostumados a ouvir. E essa freqüência gerasse um processo negativo ao nosso ser, limitando nossos pensamentos e diminuindo nossa capacidade vibratória de amor.

 Tudo isso, nos leva à depressão.

Então, o que é a depressão do ponto de vista metafísico, senão a ausência de luz por nós mesmos? A escuridão de nossa própria sombra, a revelação de nossos próprios medos, receios, preconceitos e aflições? A nossa própria falta de amor vibracional!

A falta de amor por nós, gera falta de amor por todos, e isso nos coloca numa grande jaula. Já que para recebermos amor é preciso primeiramente doarmos. Assim estaremos em equilíbrio com as leis cósmicas da doação e recepção.

 Energeticamente ficamos presos em nós mesmos, chegando a um nível complexo de encapsulização, que ocorre quando o ser humano se desfaz de seu corpo físico e interioriza-se em seu perispírito, gerando muita dor e sofrimento para si próprio.

 Qual seria a sugestão para reverter esse quadro?

 Vibrar luz para si mesmo, em primeiro lugar. Enviar luz dourada para todas as células do corpo, sentindo a abertura do fluxo de luz do coração para cada órgão do corpo físico. A partir daí, quando todas as partes, células, moléculas e átomos estão em luz, é possível vibrar luz para os outros seres e assim até fazer com que todos recebam essa luz.

Manifestar a luz vibral diariamente é um grande passo para uma mente depressiva. Imaginar que todas as pessoas do planeta estão recebendo luz e que todas começam a irradiar luz, gera uma corrente de luz imensa em todo o campo eletromagnético do planeta.

 Desta forma, curamos a todos e a nós mesmos de nossas angústias.